Coesão textual

19 maio 2009

O termo coesão significa “união íntima entre as partes de um todo”. Se, por exemplo, afirmamos “há coesão entre os jogadores daquele time”, significa que existe união entre os jogadores, que eles atuam em conjunto e não de forma isolada.
Da mesma forma, podemos dizer que um texto com coesão é aquele cujas frases e cujos parágrafos estão unidos, como se tivessem sido costurados uns aos outros (isso não significa que um texto terá um único parágrafo ou uma única frase!).
Para deixar um texto coeso, usamos alguns recursos/elementos de coesão, que são palavras que estabelecem relações entre os termos de uma frase, ou entre as próprias frases, ou entre um parágrafo e outro.
Serão destacados aqui alguns desses recursos de coesão.


1. Coesão por referência:
Os elementos de referência são aqueles que não têm um significado por si mesmos, pois remetem a outros itens do texto que são necessários à sua interpretação.
Na coesão por referência, “há total identidade referencial entre o item de referência e o item pressuposto”.
Exemplos: a) Pedro e Maria são crianças ingênuas. Eles aceitaram doces de estranhos. (referência pessoal)
b) Maria foi mal em todas as provas, menos nesta: a que tratava de pronomes. (referência demonstrativa)
c) Essa discussão está sendo igual à de ontem. (referência comparativa)


2. Coesão por substituição: ocorre quando um item é colocado no lugar de outro elemento do texto ou, até mesmo, de uma oração inteira.
Na coesão por substituição, a identidade referencial entre o item de referência e o item pressuposto não é total ou, nela, há uma especificação nova, pelo menos, a ser acrescentada (o que exige um mecanismo que seja gramatical e não semântico).
Exemplos: a) Pedro estudou muito para a prova e Maria também.
b) Pedro comeu pudim depois do almoço. Maria fez o mesmo.
c) Eu tomei um sorvete de chocolate. Pedro tomou um de flocos.


3. Coesão sequencial: ocorre à medida em que um texto progride e, entre seus fragmentos, vai se estabelecendo uma relação pragmática e/ou de significado. Esse tipo de coesão é feito através de palavras de transição.

Palavras de transição:
* No começo/introdução do texto: em primeiro lugar, antes de tudo, antecipadamente, antes de mais nada, a princípio, de antemão, primeiramente, à primeira vista, inicialmente, desde já.
* Para dar continuidade/adicionar idéias ao texto: além disso, ainda mais, por outro lado, também, outrossim, não só... mas também, acresce que, da mesma forma, do mesmo modo, juntamente com, bem como, ainda por cima, em conjunção com, além de que, ademais.
* Na conclusão: enfim, finalmente, em resumo, em conclusão, por fim, portanto, logo, em síntese, nesse sentido, dessa forma, em suma, definitivamente, assim, resumindo, afinal.
* Para indicar tempo: então, logo depois, imediatamente, logo após, pouco antes, pouco depois, anteriormente, posteriormente, em seguida, por fim, atualmente, hoje, frequentemente, às vezes, constantemente, ocasionalmente, sempre, não raro, ao mesmo tempo, simultaneamente, nesse ínterim, nesse meio-tempo, enquanto isso, concomitantemente.
* Para indicar semelhança, conformidade: igualmente, da mesma forma, assim também, do mesmo modo, analogamente, por analogia, de maneira idêntica, de conformidade com, de acordo com, conforme, segundo, sob o mesmo ponto de vista.
* Para indicar causa e consequência: por consequência, por conseguinte, com resultado, por isso, por causa de, de fato, em virtude de, assim, com efeito, logicamente, naturalmente.
* Para exemplificar e esclarecer ideias: então, quais sejam, ou seja, por exemplo, a saber, quer dizer, isto é, em outras palavras, ou por outra, em outros termos, e termos simples, sem rodeios, em linguagem clara, rigorosamente falando, ou mais simplesmente.



Referências:
1. KOCH, Ingedore Villaça. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 2007.
2. NICOLA, José de; TERRA, Ernani. Práticas de linguagem: leitura & produção de textos, volume 4. São Paulo: Scipione, 2000.
3. SARGENTIM, Hermínio. Produção de textos, volume 4. São Paulo: IBEP, 2004.



(o conteúdo deste post é QUASE todo paráfrase ou citação literal de um dos autores acima)

2 comentários:

Sandra disse...

Quero parabenizá-la pela iniciativa em partilhar o conhecimento, oferecendo esse conteúdo como apoio didático. Terá em mim, uma assídua visitante do seu blog.
Curso Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas no Claretiano, e pretendo usar esse material como apoio.
Abraços,
Sandra

Grazi disse...

Obrigada pela visita, Sandra! Fico feliz em ter ajudado! Abraço.